Desafio Literário | O que a vida fez de mim?

Todos os entraves da vida se misturam em nossos sonhos e nas nossas expectativas. Quando crianças somos condicionadas a esperar do futuro sempre o melhor e o mais colorido possível do progresso. Mas aí, nós crescemos e descobrimos que mesmo com o sol batendo nos vitrais de nossas janelas, tudo o que sempre desejamos nunca sai da maneira como a gente quer. Então a vida bate feio em nosso lombo e nos castiga, mas quer saber? Isso é resistência!

Hoje vocês podem acompanhar a trajetória de vida da autora, Ana Claudia Marques e refletir sobre as coisas que a vida faz com a gente. Fere, arde, não é a morte mas vale como uma puta experiência. Uma crônica que deixa tão visível os passos e os sentimentos adquiridos ao longo de vinte e tantos anos.  Continue lendo “Desafio Literário | O que a vida fez de mim?”

Anúncios
Post Destacado

DESAFIO LITERÁRIO

Escritores, uni-vos!

 

Procura-se autores que dialoguem em linhas sobre o tema: O QUE A VIDA FEZ DE MIM?

Serão selecionados 10 escritores que terão seus textos publicados entre os dias 20 até 30 de Agosto.  Continue lendo “DESAFIO LITERÁRIO”

Post Destacado

Desafio Literário | O que a vida fez de mim?

Escritores-Leitores: O que a vida fez com vocês?

Ao me deparar com os trabalhos recebidos no decorrer da semana passada, pude ler as alegrias e as perturbações que a vida fez com cada ser em particular. Uns expressam suas histórias através de poesia outros em vorazes crônicas. Em cada linha é possível observar a particularidade e a vivência de cada um.

Para iniciar este desafio, temos a observação minimalista e certeira do Junio Silva. O autor nos trás a história de Chibata e nos conta o que a vida fez com ele…

Continue lendo “Desafio Literário | O que a vida fez de mim?”

Varrendo os pretos para debaixo da calçada

O sol se mescla em meio a nuvens de chuva. Caminho apática e com o útero em dores pelas calçadas que há anos meus pés tanto percorrem. A vida continua frenética e as pessoas bordam um zigue-zague de forma proporcional.

Duas motos, dois homens brancos de farda, um jovem negro. Continue lendo “Varrendo os pretos para debaixo da calçada”

Blogagem Coletiva | Meu personagem favorito

Há algo de imortal e puramente difícil na amplitude de sentimentos que Hank ou melhor, Henry Chinaski desperta na escuridão do meu ser. Meu personagem favorito me resgatou da bolha invisível da qual eu me tornará naquela altura da vida, totalmente imparcial com relação a existência terrestre. Hank e seu modo de costurar as palavras de uma maneira que sempre acabava por me atingir bem na boca do estômago.  Continue lendo “Blogagem Coletiva | Meu personagem favorito”

O gato e eu

O gato lambe o rabo
Eu toco meu próprio rabo
O gato lambe as patas
Eu tenho um dos pés quebrados
O gato lambe o próprio cu
Eu nunca dei meu cu para ninguém
O gato tem olhos verdes
Eu possuo olhos negros como seus pelos
O gato nunca mia
Eu as vezes gemo alto demais
O gato é preto e é gordo
Eu sou preta e um pouco acima do peso
Nós somos bem felinos ao que parece.

 

Um jato quente nos pequenos lábios

O corpo pousado em frente ao espelho, nu. As pernas abertas com as duas mãos em seu sexo carnudo. Os dedos firmes e grossos tocavam de forma apressada os pequenos lábios. As coxas eram grossas e meio flácidas, mas isso não a impedia de tocar em seu próprio sexo enquanto se olhava de pernas abertas, nua, por completo, em frente a seu novo espelho intacto. Seu rosto trazia a expressão de dor. Continue lendo “Um jato quente nos pequenos lábios”

Bate papo com a dona lua

Os pés se embolam nos passos vagarosos e certeiros. As mãos esbarram na fresta de minhas digitais fazendo com que metade de mim se sinta acolhida.

Às vezes me pego pensando no timbre da sua voz e no poder que seu sotaque francês exerce sobre sim, e então posso repousar meus ombros cansados no colo que tanto acalenta minhas fragilidades. Continue lendo “Bate papo com a dona lua”

NOVOS AUTORES

Olá, Escritores!

A velha rotina retorna e agora 80% recuperada posso andar pelas ruas observando a humanidade, alias, meu hobby preferido. Nas andanças de ontem pelo bairro Liberdade, eu pude claramente ver o porque eu escrevo, e porque isso é tão importante para mim. Escrever é mais do que prática ou como alguns gostam de denominar, “um dom“. Vai um pouco mais além, pra mim o ato de escrever se tornou uma ótima válvula de escape para tudo o que me atormenta ou me magoa. Ultimamente, o que mais vem me magoando é observar a humanidade e reparar como as pessoas andam em passos de formiga, carregando peso invisível em seus ombros, com os olhos extremamente cabisbaixos e tristes, as desigualdades sociais, a política, a falta de respeito e afeto e a necessidade da tecnologia nas mãos ao invés de livros físicos para contemplar.

Por falar em tecnologia e coisas tristes, como vocês preferem fazer uma leitura: Através de um celular, tablet, kindle e etc… Ou vocês preferem o bom e velho livro e a textura das páginas?

Sendo assim, as autoras desta semana são: Continue lendo “NOVOS AUTORES”

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: