Projeto Novos Autores

Boa tarde, Escritores!

Estou procurando pessoas interessadas em ter um de seus textos publicados no meu blog e divulgado em algumas outras redes sociais.

Estou querendo movimentar a categoria: Novos Autores Continue lendo “Projeto Novos Autores”

Anúncios
Post Destacado

Olhos de maracujá num saco

Olho, desvio.
Olho, desvio.
Olho, desvio.
Olho.

Ela sorri de forma forçada. Alguma coisa a incomoda. Talvez uma vesícula retirada, uma diarreia, um dente com canal aberto. Continue lendo “Olhos de maracujá num saco”

OFICINA DE CONTOS

Olá, escritores!

O que andam escrevendo recentemente?

A vida de escritor é um eterno abrir e fechar de gavetas, colocando sempre num canto escuro aquele texto ultrassecreto ou aqueles rascunhos cheios de devaneios, não é mesmo? Então, nada melhor do que desenterrar essa caverna com o exercício prático da escrita. Sendo assim, trago uma dica literária para você, escritor ou não escritor:

OFICINA DE ESCRITA LITERÁRIA  Continue lendo “OFICINA DE CONTOS”

Mãos pretas

Um homem preto,
com um saco preto nas mãos.

Uma tampa de lixo se abre,
restos são retirados por mãos pretas.

Botas.
O homem possuía botas: pretas.

Uniforme cinza
com listras amarelas.
A sirene toca,
Uma embalagem com gosto industrial
cai sobre a lata de lixo sem saco.

Os pés caminham.
Mão esquerda adentra o lixo sem saco.
Mãos pretas colocam saco preto no devido lugar.

Todos seguem seguindo suas vidas.

Crack e solidão

Preciso me embriagar.
Peço um gole de corote a um morador de rua.
Ele diz:
– Vai, vai rápido. Minha mulher tá logo ali e ela já me jurou de morte umas seis vezes só hoje.

Dou um gole gigantesco. Forte.
O trem passa de forma rápida.
Sinto vontade de vomitar.

Outro morador de rua me oferece crack.

– Seus olhos estão tristes demais no dia de hoje. Crack?

Penso por dois segundos. Nego. Sinto vontade de aceitar. Maldita solidão.

– Crack? Crack?

Dou outro gole num corote. Homem de barba fala sobre fotografia. Preciso mijar.
Não estou bêbada. Infelizmente.

Eu – Fragmentada

Falida humanidade.

Bebo a rapa do tacho com gosto de detergente. A embalagem diz: sabor coco. Um senhor trás os olhos tristes pela terceira vez seguida ao tentar embarcar com sua cadeira de rodas em um ônibus laranja. Ninguém para! Continue lendo “Eu – Fragmentada”

PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | JUNHO

Junho chega e é inverno. Neste exato momento avisto o céu cinza da janela do 9º andar. Minha garrafa de vinho de 2 litros só tem mais uma pequena taça e a cerveja que abri para fazer meu desjejum acabou. Meus cabelos estão ensopados e minha cueca está com o elástico frouxo… Olá junho, como vai você? Continue lendo “PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | JUNHO”

Lápis cor de pele

Do décimo quinto eu vi, uma mulher negra vestida com um uniforme azul marinho. Ela trazia em uma das mãos um balde e na outra um par de luvas de borracha amarela.

Continue lendo “Lápis cor de pele”

Eu – Fragmentada

Tenho meus pulmões empesteados de mucosa verde. Não respiro decentemente a cinco dias. Caminho cada vez mais lenta por causa de meus parafusos e placas de metal… Continue lendo “Eu – Fragmentada”

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: