Fragmentos sobre ELA

Busquei constantemente entender as palavras que os olhos dela falavam, mas só agora eu entendi que as palavras que os olhos dialogam não são para serem ouvidas e sim sentidas. E sabe? os olhos dela tem me falado tanta coisa sobre nós…  Continue lendo “Fragmentos sobre ELA”

Curtinhas

Sobre a depressão
– Maria Vitoria

Eu – Fragmentada

Tenho sentido vontade de ligar para uma ex namorada só para dizer a ela que lhe desejo toda a felicidade do mundo com seu novo amor.

Tenho sentido vontade de botar uma mochila nas costas e um chinelo nos pés e viajar sobre a areia úmida ou o sertão quente abatido.

Tenho sentido vontade de mergulhar nos braços de mulheres aleatórias e ficar ali até formar um ninho. Continue lendo “Eu – Fragmentada”

Fragmentos sobre ELA

Eu nunca conheci alguém que eu pudesse ler tão fácil, a cada novo encontro aos olhos dela é uma vida a mais que eu descubro perante seus antepassados. É uma maravilha, posso brincar de ser apenas eu quando estou com ela e até mandar embora todos os meus medos e inseguranças, chega até ser engraçado como a gente se conecta, dia desses até chegamos à conclusão que nossos espíritos se conhecem de outras vidas e o que quer que tenhamos nesta vida é algo maior e mais divino do que a gente pode provar.

Continue lendo “Fragmentos sobre ELA”

4 minutos de sobra

Bom dia!

Trago aqui um texto especial que gostaria de dividir com alguém especial como você.

– Aliás, o que você faria se ainda lhe restassem 4 minutos?

Continue lendo “4 minutos de sobra”

#ELA

Quando eu tô com ela, eu tô com ela.

Tô com o sorriso dela

Tô com a boca dela

Tô com os olhos dela

Tô com a sobrancelhas dela

Tô com os dentes dela

Tô com a pigmentação da pele dela

Tô com o cheiro do pescoço dela

Tô com a voz dela

Tô com os mamilos dela

Tô com a barriga dela

Tô com o umbigo dela

Tô com a bunda dela

Tô com a vagina dela

Tô com as pernas dela

Tô com os pelos dela

Tô com a cólica dela

Tô com os orgasmos dela

Tô com a inteligência dela

Tô com a simplicidade dela

Tô com os carinhos dela

Tô com as digitais dela

Tô com os medos dela

Tô com o sono dela

Tô com a fome dela

Tô com o cansaço dela

Tô com os sonhos dela

Tô com as emoções dela

Tô com o Deus dela

Tô com as aventuras dela

Tô com os amores passados dela

Tô com os conflitos dela

Tô com as saudades dela

Tô com a família dela

Tô com as memórias dela

Tô com os textos dela

Tô com o tédio dela

Tô com as fraquezas dela

Tô com as inseguranças dela

Tô com a alma dela

Estou com ela,

Nela…

Sinto sua falta

Sinto a sua falta. Sinto falta da gente. Sinto falta de poder te presentear com flores. Sinto falto de te buscar no trabalho. Sinto falta de poder te ligar de madrugada. Sinto falta de andar de mãos dadas pelo centro. Sinto falta de poder dormir juntas. Sinto falta de comer no Mac com você. Sinto falta da gente brincando de teatro. Sinto falta de ver você conversando com a minha mãe na sala. Continue lendo “Sinto sua falta”

Com amor, seu picolé barato

Carolina, cimento meu próprio estômago com fel amargo para poder encobrir uma devastação gigantesca de incredulidade.

Tudo me cansa, as vezes me sinto vazia como um projétil de arma perdido nas vielas, vez ou outra me sinto vazia como a mente de alguns imbecis.

Continue lendo “Com amor, seu picolé barato”

Bateu uma onda forte

Eu não pude escolher o cardápio. Você não confiou em mim ou no meu bom gosto para comida japonesa.

Eu observei o seu recuo quando eu perguntava como foi seu final de semana.

Eu não vi você me olhar uma única vez nos olhos a noite toda. Continue lendo “Bateu uma onda forte”

Os atrasados não comem pão

Casal gay no metrô. Dois homens trocando carícias e olhares de desejo e paixão. Porém, tudo o que eu vejo é, olhares de repulsa, olhares de revolta.

As chacotas somam-se aos dedos apontados, apontamentos estes que surgem perante um atraso histórico e atemporal. Dever-se ia explicar uma concepção de desaprovação valendo dos ensinamentos de uma doutrina periódica que atravessou gerações e gerações, e iram se atravessar mais intensamente caso uma educação social salientada num conservadorismo não se altere e/ou se modifique. Continue lendo “Os atrasados não comem pão”