Preliminar Gostosa

Fez cara de vergonha, misturada com timidez e deboche. Essa menina sabia como me olhar de fato!

Olhei para os lados como se tentasse fugir do olhar dominador dela, mas com tuas mãos fervorosas ela trouxe de volta meu olhar para o dela.
Pensava eu; como fugir se tudo o que quero é me render, e com certeza ela me manterá presa. Não teve outro jeito, sem muita demora os lábios dela grudaram os meus, e como se fosse bicho, me devorou a boca toda. Senti a temperatura dela subir conforme minhas mãos em teu corpo se perdiam. Me devorou a boca, quase lhe rasguei a carne, éramos dois felinos então.

Olhei para a minha direita e avistei a minha cama, já toda bagunçada como de costume, afinal nunca estava sempre só…
Com uma de minhas mãos a peguei pelos braços, enquanto usava a outra mão para lhe acariciar os seios e deixar a temperatura dela ainda mais quente. Para cama fomos então, sem se importar com os lençóis desarrumados, com o cobertor com outros tantos perfumes, nem com o tamanho do espaço que tínhamos, era só dois corpos se querendo, afinal…

Já por cima dela olhei bem nos olhos como quem quer avistar a alma, ela me retribuiu da mesma forma, então, almas foram expostas e vistas como ninguém antes ousou enxergar. Depois com meus lábios quentes e úmidos lhe beijei o pescoço, depois subi até sua orelha que naquele momento pegava fogo e a mordisquei de leve, instigando a cobiça da garota mais ainda. Minhas mãos no corpo dela se esquentavam, se molhavam, se deliciaram… era tanto toque, tanta carne, tanto corpo, tanta vontade, e de vontade de corpo eu entendia bem.

Boca devorava seios, língua lambia corpo, mão agarrava carne e gemidos de prazer garganta retribuía. Que vontade eu tinha de engolir aqueles belos seios que me cabiam todo dentro da boca, aquele bico duro me fez voltar a ser criança que suga com gula o bico materno para se conseguir o seu glorioso leite. Me esbaldei toda e minha temperatura também subia…

Fui descendo vagarosamente meus lábios até suas coxas já trêmulas. Mordi, beijei, mordi de novo e depois ainda fiquei um bom tempo ali desfrutando das coxas quentes e trêmulas dela. Ela não conseguia mais permanecer com os olhos abertos a esta altura, somente sua voz baixa e rouca eu ouvia, as vezes nem a ouvia dependendo do tamanho do prazer. Ouvi ela sussurrar; ”Me chupa!”
Nem precisou sussurrar aquele pedido novamente e já fui com toda agilidade e volúpia até seu tão majestoso sexo, e fiz o que sabia de melhor, lambi, chupei, mordi levemente e assoprei, e isso fazia com que ela ficasse incrivelmente louca. Eu nem sabia mais que tipo de coisa ela sentia ou que som ela transmitia, só observava os espasmos rápidos e fortes que o corpo dela fazia enquanto minha língua subia, descia, entrava, saia, fazia círculos, e líquido do sexo dela escorria e escorria como resposta daquela linguada gostosa.

De repente… o sussurro e os grunhidos se cessam e um som alto e limpo se ouviu ecoar no quarto: AHHHHH… Seu corpo gritava junto com sua voz e ambos gritavam alto e fervorosos. E então vi seu corpo se jogar contra a cama violentamente como quem despenca do céu e o vi se mexer tão rapidamente para cima e para baixo conforme sua respiração ofegante entrava e saia pela sua boca, os olhos ainda permaneciam fechados e mesmo assim eu conseguia olha-los tão perfeitamente como se estivessem abertos e eles me diziam; ”Isso, foi bom pra caralho!!!”

Quando a garota em minha cama conseguiu se conter um pouco e controlar melhor a respiração, ela me olhou e disse: ”Sim, isso foi bom pra caralho.” E seus olhos se fecharam novamente.

Fiquei ali com um cotovelo apoiado na cama deslumbrando seu corpo, passando uma das mãos bem suavemente por sua pele ainda quente e entre um segundo ou outro era notório os longos, leves e rápidos espasmos… Passei as mãos nos cabelos cacheados dela, retirei alguns fios que colaram com o suor do corpo no canto da boca, lhe dei um longo beijo, fiz mais um pouco de carinho no restante do corpo, a olhei dos pés à cabeça e sorri… depois cheguei bem pertinho do ouvido dela e sussurrei:

”Amor, já está pronta pra começar a transar agora ?”
E com uma certa dificuldade ela respondeu:
”E isso que você acabou de fazer comigo não foi uma transa?”
Respondi sorrindo com malicia:
‘’Amor, foi só uma preliminar gostosa…’’

Anúncios

13 comentários em “Preliminar Gostosa

Adicione o seu

  1. Hi EruGNIRLFRIE,D! It’s been rough for me, too! AGH! What’s going on with you? Finals? One thing I’ve done in the past to avoid the oil slick is to just the roots with shampoo, and then conditioner wash everything else! That might help make your hair feel less greasy in the beginning. Big hugs back! Miss ya!

    Curtir

  2. Que delícia.
    Você conseguiu transformar cada palavra em sensação. A descrição dos momentos íntimos foi tão perfeito que a cada momento descrito, bastava fechar os olhos para senti-los. Imaginei-me sentado em uma poltrona admirando as duas!

    Curtido por 2 pessoas

  3. Existe um gênero literário chamado “realismo mágico” ou “fantástico”. Seu texto não faz parte dele, mas é o termo que eu uso para uma descrição cujas palavras tocam a pele deste leitor. Sucesso!

    Curtido por 2 pessoas

  4. Ótimo texto não errei na expressa eu deveria dizer “Que texto!”, porque ele conseguiu passar toda uma carga emotiva e o “tesão” de um momento como esse com uma linguagem tranquila e fácil de conduzir a imaginação. Realmente não há nada melhor do que uma preliminar gostosa.

    Curtido por 1 pessoa

Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: