PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | A PESSOA QUE SOU

Por falar em: A pessoa que sou, isso sempre me faz lembrar das malditas entrevistas de emprego quando os malditos entrevistadores colocavam uma folha em branco a minha frente e me davam o maldito tema: Quem sou eu?

Eu…?

LRM_EXPORT_20180703_195151

Eu… sou ratazana cinza que se esbeira por entre as pernas de uma fatídica vida. Eu… trago sempre em meus olhos o peso invisível de um passado eternamente usurpado. Eu… cuspo nas linhas os fragmentos de mim mesma para que na janta eu possa comer os restos do que um dia eu jamais achei que existiria. Eu…?

LRM_EXPORT_20180703_195734

Sangro todo mês um mar de sangue e purificação. Trago em meu corpo as linhas turvas de uma feminilidade imposta. Tento a todo custo sair da caixa cinza que me aprisionam. Eu, fecho meus punhos em formato de pedra para que talvez eu pareça um terço mais forte do que de fato sou. Sou fragilizada. Derramo lágrimas noite adentro só de avistar a lua, perco o rumo de casa com minha amiga depressão maldita, escrevo sobre as dores que vejo nos olhos dos transeuntes do mundo, escolhi uma “profissão” que jamais poderá salvar a vida de um miserável que seja. Eu… tenho dor nas costas de forma continua e me casei sem oficializar no papel sendo um tanto jovem demais, um tanto velha demais.

LRM_EXPORT_20180703_201100

Sou esfarelada. Pó. Sombras. Negrume. Os ombros pendem de uma forma que castigam minha coluna cervical. As pessoas dizem: respira, respira, respira… Eu digo: FODA-SE ESTA MERDA!

LRM_EXPORT_20180703_195703

Eu, bebo. Ultimamente eu bebia bem mais. Já perdi as contas de quantas vezes eu caminhei pelo centro da cidade de São Paulo, com a alma ferida e me sentei em cima de papelões frios num verão de 30º e compartilhei mais do que duas garrafas de qualquer álcool disponível com algum morador de rua. Já perdi as contas das vezes que eu quis dar cabo a minha própria vida e ao menos uma vez eu cheguei tão perto mas não fosse sei lá quem fosse, eu já estaria escrevendo cartas de amor num céu inexistente.

Quantas vezes eu sai as ruas e os olhares me apontavam logo às 5 da manhã, numa neblina ainda escura e os dentes brotavam amarelos em meio o dia que ainda não nasciam e os dentes riam, os olhos riam, e as palavras conjugadas eram: Você jamais irá para o céu.

Eu, observo meus braços jorrarem sangue morno e me sento de costas para uma parede gélida na esperança que as horas corram tão rápidas a ponto de eu abrir os olhos de modo repentino e que tudo já se somem a um zilhão de vidas mortas.

Eu…?

LRM_EXPORT_20180703_200058

Picoto minha própria pele. Rasgo um montante de meu corpo. Corpo, que corpo? Uma vez que sou violada ao jangar pelas encruzilhadas, ao esbarrar nos faróis, ao me sentar nos espaços semi-vazios. Eu… deixo livre meus seios negros com auréolas grandes e os toco de forma insonsa. A barriga brota por cima de uma pele morta, que renasce por cima de um padrão que jamais poderei alcançar. Sempre fui uma pessoa observadora. Sempre pude sentir o universo rodopiar ao redor de mim de uma forma que jamais girava ao redor de qualquer outra pessoa. Eu sempre gostei de me despir, quando criança, alegava sempre que era índia, filha das matas e cria da natureza. Sempre gostei de sentir a liberdade tocando a minha pele negra. Pele… negra? Feminina? Acinzentada?

LRM_EXPORT_20180703_194948

Metade de mim é o que o mundo espera que eu seja. A outra metade é o que eu gostaria de ser. No geral: Eu – Fragmentada.


PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | A PESSOA QUE SOU

EDITORA: SCENARIUM PLURAL

PARTICIPAM DESTE PROJETO: Lunna Guedes, Obdúlio Nunes Ortega, Mariana Gouveia, Mari de Castro, Cilene Mansini

Anúncios

16 comentários em “PROJETO FOTOGRÁFICO 6 ON 6 | A PESSOA QUE SOU

Adicione o seu

  1. Fotos lindas e uma escrita que me sem palavras de tanto sentimentos e reboliços que senti dentro de mim. As vezes pensamos ser tão felizes mas acredito que seja porque não olhamos atentamente pra dentro de nós. Esses tempos passei por esse olhar e me senti tão angustiada, sufocada que tive que voltar e respirar para quem sabe um dia tentar de novo. Beijos

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que trabalho maravilhoso!
    Eu amo sua escrita, eu amo seus textos!!
    Seus textos são tão recheados de verdade e autenticidade que a gente acaba mergulhando profundamente neles. Me identifiquei em várias partes.
    Parabéns, pelo seu extraordinário trabalho!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Me parece ao ler seus escritos tão realistas…que metade de você é o que desejas ser…a outra metade o que sonhas ser…pela autenticidade do que escreves…dificilmente, consegues ser o que a sociedade espera que sejas…abraço.

    Curtido por 1 pessoa

Comente sobre isso

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: